segunda-feira, 9 de junho de 2014

Ando jogando: League of Legends


Eu jogo mal, não tenho level máximo, sou quebra-galho pra last hit, mas o importante é participar.

Começar a fazer resenhas ou comentários de jogos é sempre um caminho perigoso. Quem já acompanha canais e blogs dessa mídia sabe que boa parte da galerê que comenta são os reis do bullying e qualquer deslise vira motivo pra xingar a mãe do pobre comentarista e trazer seu status de gente boa para n00b do ano. Mas é o que tenho pra hoje.

Ultimamente não ando lendo muito, mas abri um espaço bem grande do meu tempo livre para os jogos e um que tenho gastado bastante é o lolzinho, então gostaria de dar apenas uma pincelada por cima dele.

League of Legends é um jogo estilo MOBA (Massive Online Battle Arena) que é o mesmo esquema de DOTA e Chaos online. Nesse tipo de jogo você faz parte de um time e deve, num modo extremamente simplista de explicação, pegar a bandeirinha do time vizinho (vou abranger isso, só um minuto).

Primeiro a minha história...

Comida de torre
A primeira vez que vi um jogo desse tipo foi com o Dota e não sei se foi como foi me mostrado, mas me parecia um treco bem mais ou menos, principalmente pra mim que estava acostumada com jogos que você podia ser o lobo solitário caminhando pela vasta imensidão dos mapas de MMORPG até entrar numa dungeon e morrer sozinho na caverna (Do tipo World of Warcraft, Aion e Ragnarök).

O negócio é que meus coleguinhas jogavam muito esse tipo de jogo e eu queria fazer parte do movimento. Mas a vida não é simples, pequenos gafanhotos. Lançaram o DOTA 2, todo mundo migrou para esse jogo e eu vi meu notebook chorando num canto porque não conseguiria me proporcionar a configuração mínima necessária para fazê-lo rodar.

Foi quando apareceu o League of Legends.

Ele é bem mais leve, os gráficos no máximo ainda não têm todo o brilho e o glamour que o DOTA 2 tem, mas ainda o acho muito bonito de qualquer forma. O gráfico é mais cartunizado e tem menos fotinhas animadas por todos os cantos. Um ponto que deixa ele muito bacana em termos estéticos é que a maioria dos campeões jogáveis possuem skins, que seriam uma roupinha 'nova' pra você trocar.

Mas, tia Be... O que diaxu 'ce faz nesse jogo?

Art do mapa Summoner's rift
Bem, você vai entrar em um time (que pode ser seus amiguinhos ou pessoas aleatórias, você decide) e vai entrar em um mapa. O mapa mais comum é o Summoner's rift. Nele cada time terá cinco jogadores, e temos três caminhos diferentes (lanes) até a base do time inimigo. Até essa base vai ter algumas torres espalhadas pela estrada, onde até a metade elas são suas e depois disso são dos inimiguinhos, sendo que as torres inimigas te massacram quando você passa por baixo.

Láááááááá da sua base ficam saindo uns mini carrapatos com capuz (minions) que vão dando tapinhas nas coisas inimigas que vão encontrando pela frente, então estes são os seres mágicos que distraem as torres enquanto você pode passar por baixo ou tentar destruí-las. O time inimigo também têm minimaguinhos, e pra eles você é a cosia inimiga, e é você que eles vão tentar estapiar.

Quando você dá o ultimo golpe nesses minions, além da experiencia que ganha pela ajuda no abate para subir o nível de seu personagem, e por consequência o poder do dano dele, você também ganha uns ourinhos que serão usados para comprar itens e melhorar o seu campeão.

O objetivo aqui é chegar na base do inimígo e destruir o Nexus dele (a bandeirinha na verdade é uma senhora fortaleza).

Diferente de alguns outros jogos tipo MOBA, nesse as funções de cada um na lane são bem específicas, e logo a função de cada jogador do time é bem dividida também.

Skins da minha Caitlyn adc linda, maravilhosa e cheia de marra.
Tem o suporte, que fica responsável por ficar curando os outros e paralisar ou lerdiar o inimigo e costuma ir no caminho inferior (bot lane, de bottom); tem o adc, o companheiro de aventuras do sup na lane de baixo, que tem vida igual um papel, mas que vem com o poder de fogo maior e costuma ter uma distância de disparo grande pra poder ficar mais pra trás na hora das briguinhas.

Na mid lane (middle, meio...) geralmente vai um mago ou campeão solitário que fica com o inimigo, também na solidão, se batendo sozinhos ali no meio. Enquanto no top em geral há duas situações, ou dois tanques (os caras com defesa fodelástica) ou um tanque apenas, o que da espaço para outro tipo de jogador, os jungles.

Os jungles são os campeões que ficam na floresta entre todas as lanes e têm como função bater nos monstrinhos do mato em busca de ouro e experiência. Também é função do 'selva' (em português é selva, não julguem) ajudar a salvar com toda sua bravura e força a lane que estiver perdendo e a gankar (matar uns inimigos para adiantar a lane) em algum caminho que esteja necessitado.

Essa estrutura toda certinha do league of legends é legal pra manter a ordem do time, mas também é um dos maiores problemas no servidor brasileiro. Uma grande maioria, mas uma grande maioria mesmo, dos jogadores de lol são insuportáveis na hora da escolha de suas funções.

Cosplay super supimpa do Fiddlesticks
Você está tranquilo com sua posição de repente dois marmanjos começam a se xingar no chat porque ambos querem a mesma posição, e dali ou um sai nervosinho e começa a caça por time de novo, ou entram no jogo e a partida inteira vai pro brejo porque ninguém joga, só ficam batendo boca ali do lado. Nisso um terceiro caboclo resolve participar e xingar todo mundo também. O quarto cara já tá fulo da vida pois o time tá perdendo e quita da partida, deixa tu sozinho para fazer tudo, mas você... Você... Você, como pessoa educada, que não faz essas papagaiadas vai lá, mantem a calma, joga o que dá, mostra todo seu potencial e depois da derrota reporta os moleques, e toda a conversa vai pro tribunal. Aí o problema vai ser estudado e é possível que os culpados levem suas devidas punições e a vida segue adiante.

Nessas horas a gente tem o momento de reflexão sobre a vida, pensa porque ainda está lá, pensa em tudo que podia estar melhorando no mundo nessas meia horas que duram cada partida, diz que nunca mais vai se estressar com esse jogo, levanta, e cinco minutos depois entra de novo para escolher seu champion. LOV*

Aqui já é um mais humilde.
Como eu disse, cada partida tem em média uns 20 minutos até meia hora, depende do seu nível, do nível do seu time e do nível do inimigo. Você tem a possibilidade de jogar contra pessoas, mas também pode jogar contra bots. Quando eu entrei a diferença das inteligencias artificiais no nível iniciantes para o intermediário era brutal. Jogar com pessoas era mais simples que contra os bots no nível mais ou menos. Mas hoje isso já foi 'consertado' e da pra treinar os campeões que nunca viu antes sem medo de perder pra máquina e sentir muita humilhação.

Têm muito champion para usar, mas uma coisa que chateia quem vem do Dota é que lá você já começa com uma cambada deles para escolher. No Lol não. No Lol você tem alguns iniciais e toda semana há um rodízio dos champions de graça que você pode escolher. Para ter aquela bonequinha linda que você jogou na semana passada, ou você reza para ela ser sorteada de novo, ou você junta os pontos que ganha a cada fim de partida até dar o valor dela, ou paga em dinheirinhos de verdade mesmo.

Cada champion vem com cinco poderes (em média), a passiva, que independe do que você aperta, três poderes 'normaizinhos' (Q, W, e E) o ult (R). Alguns personagens trocam uma letra por dois poderes, mas em geral são só esses cinco golpes e sempre são essas quatro letras. O tipo de golpe é o que difere para que função e lane cada champion realmente é bom. A Sona por exemplo têm poderes de cura e aumenta a velocidade dos coleguinhas, logo, é uma boa suporte.

É legal que todo mundo tem uma história, não só exclusiva do personagem do tipo 'fui uma criança feliz e hoje sou champion nesses caminhos da vida', mas entre eles. Como brigas, relações de parentesco e coisas assim.

Existe um site de vídeos de stream de gamers chamado Twitch.tv onde o jogo que mais possui canais é o League of Legends, não só pelo jogo em si, mas pelas menininhas que se gravam de cosplay. Esse jogo tem muitos personagens e todos são muito bacanas, então em eventos sempre aparece pelo menos um campeão perdido feito de cartolina e papel EVA.

Campeonatinho
É um jogo bem divertido e até viciante e tem muita coisa que eu poderia detalhar ainda mais, mas acho que mais que o que já escrevi ia encher muito quem viesse ler. (Nem falei do barão, do dragão, das dancinhas e da banda Pentakill e eu queria ter falado da banda Pentakill)

Só gostaria de explicar que tentei ser a mais didática possível. Quem já manja os esquemas deve ter achado um porre, mas meu objetivo aqui foi tentar dar um minitutorial pra quem não conhece esse estilo de jogo (até porque não teve posts de tipo algum de jogos anteriormente no blog), mas queria saber como funciona.


Espero que gostem dessa nova temática, um kiss na ponta do nariz e até a próxima. O/


Nenhum comentário:

Postar um comentário