sexta-feira, 28 de março de 2014

Avatar - A Lenda de Aang

Não, não é um post sobre o filme de E.T.s azuis. Estamos falando de um cartoon, com muita cara de anime, que conta a história de quatro reinos, onde algumas pessoas nascem com grandes poderes (e grandes responsabilidades) de controle sobre o elemento de seu povo. Os nômades do ar, as tribos da água, o reino da terra, e a nação do fogo.

Existe um cara, um único cara, que controla todos os quatro elementos, e esse cara é chamado de Avatar. Não é somente um cargo, é tipo uma entidade, onde as pessoas que tinham esse poder anteriormente vão se instalando na cabeça do Avatar atual o que o deixa, alem de OP overpower, super roubado, com uma experiência muito maior do que de qualquer um.

A entidade Avatar têm algumas peculiaridade bem interessantes. Primeiro, é que sua origem começa na forma de reencarnação, e isso acontece de forma cíclica seguindo sempre a mesma ordem de elementos. Então, se o último Avatar era um cara de fogo, o próximo necessariamente será em um bebê dos nômades do ar, o próximo da água, o seguinte da terra e recomeça o ciclo.

Outro ponto é que, diz a lenda, se o cidadão morre no estado Avatar o ciclo se quebra e não nascerá mais Avatares (Eu e os plurais. xD).

“Tudo parecia bem até que a nação do fogo atacou.”

Tio e sua sabedoria.
Aconteceu de um cometa surgir e um cara ambicioso achar que isso traria poder. A nação do fogo começou uma guerra que durou 100 anos até o ponto em que se passa realmente a série. O Avatar da época havia morrido, e ninguém sabia onde tinha se enfiado o próximo a nascer, e a nação do fogo fez questão de destruir os nômades do Ar para que se quebrasse o ciclo. Um cara que controla todos os elementos é a esperança dos outros três reinos oprimidos.

O ponto é que Aang, o último dobrador de ar, (E Avatar recorrente) ainda existia e foi encontrado por dois irmãos, Katara e Sokka, boiando congelado em um iceberg no meio do mar. E isso tudo é o primeiro episódio.

A partir daí o foco é fazer com que Aang cresça como Avatar e consiga botar ordem no mundo novamente.

O ritmo em que as coisas acontecem é muito gostoso, têm bastante batalhas e várias cenas de morais são espalhadas em praticamente todo episódio.

Fanart da Toph. =]
O estado Avatar, apesar de ser roubado, não deixa com que o Aang seja aquele personagem principal chato que já começa absurdamente forte. Ele é sim, como um bom dominador de Ar que cresceu sendo, forte e habilidoso, mas é mostrado em vários momentos como ele também teve dificuldade, quais são seus pontos fracos e como ele lida com isso. Isso tanto no físico como psicológico.

Ele foi criado por monges, e tem um jeito de ver a vida muito diferente do que estou acostumada à ver em protagonistas de desenhos do gênero. E falo desenhos pois Avatar, mesmo tendo cara, não foi feito por japoneses. E vários pontos provam isso.

Em Avatar, a lenda de Aang, existem muitos personagens fortes que são mulheres. Algo assim é mais raros em animes do gênero japoneses, que em geral dão uma cota de uns 35% (Observe o chute numérico) pra moças batalhadeiras em um anime shounen comum.

Avatar gritando no travesseiro.
Isso não significa que em Avatar elas todas sejam legais, pois vêm com outra coisa da cultura americana embutidas nelas: A grande maioria são muito metidas, véi!!! Katara, a primeira moça importante que aparece, é extremamente intrometida, mandona, e tudo que uma pré-adolescente de filminho teen é. Mas é fortinha, não dá pra negar.

Outra que, mesmo sendo também bem irritantezinha no princípio, foi me conquistando aos poucos é Toph. Ela entra para o grupo de Aang mais para frente na série e em questão de habilidades essa menininha que deve ter seus 12~13 anos é acima de qualquer um. Ela é muito inteligente e tática. Vi alguns spoilers da lenda de Korra e parece que ela vira algum tipo de chefe de exército, e isso faz todo o sentido do mundo.

Toph é um personagem duro, machão mesmo, e que se esforça pra conseguir sempre ter o trabalho feito, além de ser muito confiante. Uma cena quase no final do anime bem legal com ela é sua expressão quando descobre que suas aventuras estão sendo interpretadas em um teatro por um gigante bombado. E tem uma coisa que as vezes eu e todos os outros personagens esquecemos sobre ela: Ela é cega.

Sokka sensualizando.
Da turminha do barulho o único que não é um dobrador de qualquer coisa é Sokka. Sua maior skill é seu bumerangue, mas isso é uma mentira. Seu maior ponto forte na verdade é ser estrategista, e um grande inventor, e pelo que parece puxou isso do pai, que aparece poucas vezes mas que parece ser um cara bacana, gente boa e blá blá blá.

Também é o rapaz mais bem humorado com seu mau humor que tem. Suas cenas são as que trazem mais alegria pro anime todo. Se você passar cinco minutos no tumblr você verá cada gif bizarro das frases e expressões épicas de Sokka. É muita diversão num rabo de cavalo só.

Personagem mais paciente ever.
Ainda têm o Zuko, que pra mim basta dizer que é o moço que mesmo com ¼ do rosto queimado consegue ser o mais gato da série, seu tio Iroh, que é um dos homens mais sábios que têm (além de ter os segredos mais bacanas), o resto da família toda, que é uma turma bem esquisita e milhões de outros personagens muito bacanas por todos os lados.

Não me decepcionei com o final, achei coerente e até bonito. Teve batalhas épicas, reviravoltas e superações. 

Existem pontos da histórias que mereciam até um post só pra eles de tantos comentários que eu poderia fazer, mas acho que quando vai chegando o final da segunda pagina no BrOffice já devo ir parando, né?


É um anime lindo, com uma temática bacana, personagens super carismáticos e faz todo sentido ser o sucesso que foi pra garotada lá nos States. É bem leve, é divertido, é tudo que há de bom. Recomendo MUUUUUUUUUUITO, com aquele ar de 'quero ser uma pessoa melhor igual o cara principal' que todo desenho bom deve transmitir. =)


2 comentários:

  1. Sua maneira de descrever o desenho é encantadora. Confesso que alguns pontos que — como percebi — te tocaram também fizeram com que eu me apaixonasse pelo desenho.

    Escrevi uma resenha sobre a saga Avatar. Fiquei literalmente 3 semanas para tal.
    Se quiser dar uma olhadinha, aqui vai o link. :)
    www.regiscardoso.com.br/avatar

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Régis. =D

    Uma coisa que acho bacana desse desenho é que mesmo fazendo bastante sucesso não colocaram muita enrolação pra manter audiência. Isso ajuda muito a não perder o fluxo.

    Gostei muito da sua resenha (e do blog todo alias), mas vou confessar que não li a parte de Korra. Ando fugindo de spoilers. Hehe. =P

    ResponderExcluir