terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Puella Magi Madoka Magica - Shaft

A primeira vez que ouvi falar de Madoka foi em um vídeo do pessoal do Video Quest onde faziam a resenha do anime. Fora Card Captor Sakura, nunca me interessei com esses animes de menininhas fofinhas cheias de babado lutando pelo mundo; mas a crítica do Kitsune e do Fábio Urso do Video Quest parecia tão bacana que fui ver do que se tratava.

Puella Magi Madoka Magica é a história de um grupo de garotas que faz um contrato com uma criaturinha com olhos de psicopata chamada Kyubey, onde em troca de lutar contra bruxas malígnas elas teriam um desejo, qualquer milagre, realizado.

O interessante do anime é que não é só mais um anime de lutinha da vida, ou em aventurinhas repetitivas, ou na vida cotidiana das garotas como é o costume desse gênero, mas é uma animação densa, de certa forma bem pesada, e que deprime se assistir tudo de uma vez só.

Apesar das cenas iniciais mostrarem uma Madoka, a garota principal, com uma vida feliz, ajeitadinha, com relativa boa condição financeira, boa escola e sem grandes desesperos, ainda assim têm uma nuance tristonha. São cenários muito amplos, geralmente sem detalhes, sem cor, vazios por si só. Tanto a casa de Madoka quanto a escola são de paredes de vidro, deixando tudo ainda maior e mais vazio. O olhar dos personagens são constantemente tristes, e boa parte deles têm um jeito de conversar de uma gentileza muito muito muito doce. Na minha cabeça são características que ficam muito próximas de confundir entre paz e melancolia.

As bruxas não são representações personificadas. Elas na verdade ocupam um determinado terreno, onde até podem ter um ser central que a identifique como uma criatura, mas em geral são toda uma área. Essa área se torna toda temática, toda psicodélica, com desenhos nonsense e olhando de perto até bonito, principalmente com a música épica que acontece dentro dela, que achei bem bacana.

O ponto é que as bruxas sugam as pessoas. Desde realmente atingir alguém, até provocar acidentes, ou mesmo beijá-las. No caso do kiss da bruxa o que acontece é que a pessoa atingida ganha um sinal que é a cara de tatuagem de chiclete, e passa a ser consumido por uma depressão absurda, até os casos que acontecem suicídios.

A função das meninas mágicas, teoricamente, é destruir as bruxas e salvar o mundo dessa praga.

Falando assim parece que elas se tornam garotas mágicas por um bem maior, pela paixão pela humanidade e a vontade de salvar as pessoas do maldade. Mas não. Elas se tornam garotas mágicas por que desejam algo. Todas elas tiveram um motivo pessoal, que na forma de desejo é barganhado por Kyubey para que se tornassem uma Puella Magi.

Os desejos dessas garotas, como apontado no vídeo do VQ, são em geral bem práticos: Tenho um problema agora, gostaria de resolver, Kyubey, por favor o realize, e eu assino o contrato. São coisas realmente bem objetivas pro tamanho da carga que acabam levando. São garotinhas lutando contra coisas que literalmente matam.

As meninas têm suas personalidades bem definidas, Sayaka, a azul, com seu jeito espontâneo e direto, Mami, a amarela, que se acha até o último talo, apesar de ser uma boa senpai (veterana) para as meninas, e ter a entrada mais triunfal de um anime ever, além das armas mais legais.

Existem muitas morais escondidas nos diálogos entre os personagens. Questionamentos sobre o tema desejo, como quão forte podemos desejar algo e se somos capazes de arriscar a vida por isso. Ou se quando desejamos algo para alguém, se é um desejo genuinamente sincero ao próximo, ou se é por nós mesmos, ou se é por que esperamos algo em troca. Mostra também como as pessoas encaram decisões, a capacidade das pessoas de culparem os outros por seus próprios erros, e como em momentos diferentes podem se escolher diferentes ações para a mesma situação.

Uma das coisas mais legais do anime é o plot twist, a reviravolta. Não dá pra contar muita coisa sobre isso sem dar spoilers violentos, mas... As coisas não são como parecem ser.

É um anime curto, 12 episódios, tem filme (que não assisti) e agora está saindo o mangá no Brasil. Recomendo bastante, acho que apesar das imagens ultra fofinhas que se acha na internet é uma animação com bastante coisa a oferecer. =)


Ps. Tenho paixão pelo cabelão da Homura, a roxa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário