quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Identidade Paranormal - Måns Mårlind & Björn Stein

Quando peguei o filme pela metade passando na televisão achei que fosse mais um filme de investigação policial normal que sempre aparece por aí. Sentei, fiquei um tempo, e quando percebi o filme havia me prendido ali até o final. Assisti novamente depois mais duas vezes, sem cansar.

O filme começa com Cara, interpretada por Julianne Moore, em um juri argumentando que não acredita em personalidades múltiplas e apresentando sua teoria sobre isso. Essa cena é utilizada apenas para mostrar sua opinião sobre esse aspecto, pois boa parte do filme é Cara tentando provar que o personagem David, paciente de seu pai Dr. Harding e interpretado por Jonathan Rhys Meyers Rei Henry do The Tudors, não tem esse tipo de distúrbio.

Com o desenrolar das coisas vemos que de fato não é múltipla personalidade que David tem, e sim possessões. Deixar esse tipo de plot twist assim não teria graça suficiente, então realmente têm um fundo de história para que essas possessões ocorram. Aí já entra a briga de igreja, fé, idéias pagãs e essas coisas de filme de medinho.

Medo, medo mesmo, esse filme não me causou nenhum (nem à minha irmãzinha que é o medo em pessoa). Mas é um filme gostoso de ver (que vi 3 vezes na mesma semana sem choramingar) e que eu recomendaria para ver em tempos de folga.

É interessante também ressaltar a interpretação de Jonathan ficou muito legal, já que pra cada possessão é uma personalidade diferente. Detalhe que David é paraplégico, e essa condição é uma sacada enorme para várias cenas do filme.

Cara tem aquele mal de protagonista de histórias de terror: querer fazer tudo sozinha e nos lugares mais escuros que tiverem por perto. E isso deixa algumas coisas clichês, mas é um filme desse gênero, então passa.

Só teve uma cena realmente forçada, que como cientista da computação me fez vibrar com tamanha tecnologia, que foi a descoberta do irmão de Cara utilizando o software de áudio mais desenvolvido do mundo. O pior que a segunda parte da trama acontece toda a partir dessa descoberta. Não vou falar o que é pra não ser spoiler, mas... Cara... Que aplicativo mágico!

De qualquer forma o filme é bom. Não o melhor do ano, mas bom. Fica aqui então a minha recomendação para um filme gostosinho e sem firulas. xD

Nenhum comentário:

Postar um comentário